20/10/2014

O mas

Porque é que tudo o que é bom traz sempre (ou quase sempre) um mas atrás?
Estoj tão feliz pela adição do gatinho cá em casa, mas estou com receio de que o miúdo seja alérgico,  além de que o Teko parece meio adoentado (ou será a nossa ausência? ).... =(

06/10/2014

Por cá

O fim de semana foi difícil mas bom. 
Foi difícil sentimentalmente. O pai do J. fez 2 anos que faleceu. 2 anos que literalmente voaram! 
Mas foi bom porque o meu filho está um crescido e começa a ganhar laços com outras crianças que infelizmente só vê de 15 em 15 dias. 
Foi bom porque vamos acrescentar um elemento  à família. Ao fim de 4 anos de vida conjugal, a pedir um animal de estimação ao J., consegui finalmente chegar ao seu coração. Esta semana vamos buscar um gatinho.
Foi bom porque no meio da minha insanidade daqueles dias de mulher, decidi que tenho de deixar as boas intenções para trás e passar mesmo à ação! Tenho mesmo que no meio do meu dia a dia louco, arranjar tempo para mim. Estou desleixada.
Foi bom porque o meu filho parece ter ouvido que fiquei triste por não saber brincar com ele e agora ele vai-me buscar todos os dias, para me sentar com ele e brincarmos juntos. Lá da maneira dele, procura incentivar-me com todos os brinquedos a passarmos mais tempo juntos.
Foi bom porque o sol vai brilhando todos os dias na nossa vida, apenas porque não desistimos.

02/10/2014

Turbilhão

Realmente há coisas que não esperamos que aconteçam a nós.  Mas de facto de uma forma ou de outra,  há sempre algo que nos bate à porta.
E é isso, de cabeça fria, que penso.
O primeiro embate é o que custa mais, mas agora só depois de devida avaliação é que vamos saber o que fazer.
O meu Afonso tem um sopro no coração.  Para já algo que dentro do mau, não é mau de todo. Mas só depois de visto pelo cardiologista e dos exames é que saberemos a dimensão da "coisa ".
Foi um choque. Ao fim de quase 2 anos de existência,  ouvr, saber, pensar que ele poderá ter um problema cardíaco.
Ultrpassado o choque inicial foi racicionar na questão.
Estou super preocupada sim, mas saber que o tipo de sopro que ele tem passará com o crescimento dele, é sem dúvida um conforto.
Agora é marcar consulta e saber tudo!
Vai para aqui um turbilhão nesta cabecinha...!

24/09/2014

O pulo do verão

Sempre ouvi dizer que as crianças crescem de estação para estação.
Neste verão escondido, senti isso em relação ao meu menino. 
Sempre lhe comprei os sapatinhos maiores que davam para a época toda e porque nunca se sabia quando ele poderia dar esse tão falado pulo. 
Tem umas sandálias giras que comprei para um casamento em julho, tamanho 21. Durante as nossas férias, em agosto, pensei "o meu filho é diferente dos outros porque o pé não lhe está a crescer no verão". 
Mas entretanto desliguei o botão desse assunto. 
Esta semana, ao olhar para o pé dele reparei que agora é que as sandálias estavam no tamanho certo!!! Já não sobra espaço!!!
E pensei "afinal o meu pequeno cresce e muito".
A acompanhar o crescimento do pé está obviamente o corpinho dele. Reparei que está um pouco mais alto, mais entroncado e que apesar de fofo já começa de certa forma a perder o ar de bebé.
O pulo do verão está a "levar-me" p meu amor pequenino.

16/09/2014

Dias difíceis

Por cá os dias têm sido difíceis,  muito em conta com o que se passa profissionalmente.
Todos os dias me levanto a tentar acreditar que cada um vai ser melhor que o outro,  mas não é. E custa mais ainda quando temos a vida numa corda bamba e não vemos solução.

09/09/2014

Mudamos?

A vida dá muitas voltas. A nossa tem dado demasiadas.
E nestas trocas e baldrocas,  colocamos em cima da mesa uma carta que aqui há muito tempo a tirámos.
Hoje em dia as condições são diferentes,  as necessidades diferentes. E há uma vontade de mudança que se poderá transformar em uma grande mudança.  Para todos.
Se há medos? Inseguranças? Há. Claro que há.
Mas o tempo o dirá.

04/09/2014

Triste

Sinto-me triste.
Já por cá falei deste assunto e sou sincera, tenho alturas em que não consigo evitar de pensar no mesmo.... 
Sinto-me uma péssima mãe. O pequeno Afonso está numa fase linda mas péssima em termos de alguns comportamentos... Testa-nos ao limite. Dá-nos cabo da paciência!!
Ralho com ele e como sou apologista da palmada na hora certa, às vezes dou-lhe uma naquela fralda.
Nunca me sinto bem depois.
Sinto mesmo que muitas das vezes que sou a má da fita. 
Fico com ciúmes quando o vejo, principalmente depois de o chamar à atenção, a correr para o pai ou para quem seja e abraçar, pedir colo....
Às vezes, quando o tento adormecer e ele não quer beliscando-me com tida a força que tem, penso que não gosta de mim. Quando lhe mudo a fralda, farta-se de me dar pontapés e a rir trocista enquanto o faz.. Penso que não gosta de mim. Quando corre para os braços dos outros, ignorando-me, penso que não gosta de mim.
Nas férias quando estivemos com a minha mãe e ele me ignorava, pensei que ele não gostava de mim.
Fiquei ainda mais sentida ao perceber que não sei brincar com ele.
E estou triste. Sinto-me mal comigo. Sei que muito há-de ser desta cabeça sem jeito, mas não consigo deixar de passar ao lado. 
Estou triste